Área Restrita

Novidades

Adaptação escolar: como passar por esse momento

Ir à escola pela primeira vez não costuma ser uma tarefa fácil, nem para os pais, muito menos para as crianças. Porém, essa angústia pode ser amenizada, e o primeiro passo para deixar esse momento mais fácil é o diálogo. Há diversas práticas que se iniciam ainda no convívio familiar e que contribuem significativamente para o processo de adaptação: conversar com a criança, explicando como se dará o processo de ida à escola, prever as atividades que serão realizadas e quem irão encontrar são algumas das alternativas para fazer desse momento o mais calmo possível.

2

Quando a criança já está ciente do que irá encontrar, parte da insegurança já é trabalhada e amenizada. “Para motivar a criança, recomendo também que a família a envolva nos preparativos para a escola, como mostrar o uniforme e organizar o material escolar. Os pais também podem conversar sobre suas experiências na escola, mostrar fotos desse período e realizar brincadeiras que simulem vivências escolares”, explica a psicóloga da escola Balãozinho Mágico, Aline Bezerra.

Alguns fatores atrapalham o processo de adaptação. Um deles é os pais quererem estar sempre disponíveis para o filho caso ele chore. Essa presença não é muito recomendada, pois a criança demora a se adaptar. “Quando a criança percebe que a família está muito perto, ela vez ou outra volta a sua atenção para essas pessoas com quem já possui um vínculo formado e, assim, não vivencia totalmente as atividades que estão sendo desenvolvidas naquele momento. Assim, a criança demora mais para vincular-se ao ambiente, aos novos coleguinhas e à professora”, afirma a psicóloga.

Outro ponto importante no processo de adaptação escolar acontece quando os pais levam a criança para visitar a escola. De acordo com a psicóloga, quando a criança está familiarizada com o espaço físico, ela fica mais à vontade para aderir às atividades propostas e sente-se ainda mais segura para explorar o local. “Quando tudo é muito novo e desconhecido, a criança pode sentir-se muito retraída e assustada. Sem falar que visitas prévias contribuem com a motivação, especialmente se a criança percebe elementos atrativos como parques, salas decoradas, brinquedos, espaços amplos e outras crianças interagindo no local”, conclui.